Segundo a FAPESP, o Estado de São Paulo responde por 48% dos doutores formados no Brasil, e por 50% da produção nacional de artigos científicos em revistas indexadas.

Assim, a comunidade científica paulista tem demanda suficiente para justificar a existência de uma rede acadêmica própria no Estado, e é por esse motivo que existe a Rednesp.